20.4.11

RENOVAÇÃO DE LIDERANÇAS

Acompanhando na mídia as notícias sobre a eleição que vai ocorrer no Sindicato Rural de Ponta Porã e observando os resultados das mudanças de comando das Entidades Representativas Rurais no MS começo a acreditar em profundas alterações comportamentais deste setor produtivo. A Acrissul tradicionalmente conservadora, com a nova gestão do Francisco Maia um guri que brincou com meus filhos nas ruas de Ponta Porã, vem provocando uma revolução/renovadora pela posição corajosa de enfrentar o tradicional conservadorismo de direita ao “pegar o boi pelo chifre”.

Enfrentando o perigo de frente, o Chico ousou minar as hostes inimigas sugerindo ou propondo uma participação efetiva dos produtores rurais na chapa do Zeca, candidato a Governador pelo PT. Nos últimos dias a mídia vem divulgando a intenção de a Acrissul tentar reunir os maiores lideres do Conjunto Comercial Sudamericano o MERCOSUL no evento Internacional promovido pela entidade, a Expo MS/Agronegócios, entre eles o polemico Hugo Chaves, Presidente da Venezuela.

A presença de um Chefe de Estado estrangeiro obrigaria a vinda do LULA a Campo Grande, e assim muitas decisões seriam antecipadas visando as próximas eleições. O Chico que ainda muito jovem foi Deputado Federal, com esta atitude renovadora definitivamente retornou para a Política no momento certo em que a Nação está repensando o seu futuro, optando pela Direita conservadora ou acompanhando a moderna globalização social e econômica. A administração competente e independente do Presidente anterior Laucídio Coelho permitiu a atual virada de mesa.

Aqui pelo Sul com a baixa densidade eleitoral e por isso esquecidos pela mídia estadual o Sindicato Rural de Amambai dirigido por Christiano da Silva Bortolotto e o Sindicato de Tacuru com a liderança do Luís Pantalena são algumas das vozes atuantes e discordantes da inoperância e da acomodação dos atuais executivos no Poder.

Tragicomicamente e infelizmente Dourados elegeu um prefeito diferenciado da população, e um presidente de Sindicato Rural que ausentou os problemas do Campo da mídia estadual. Lá pelo norte do Estado, que juntos com a Capital estão usufruindo de todas as benesses estaduais possíveis do todo que se arrecada de Impostos no MS não se ouvem vozes nem a favor e nem contra a administração do atual Governador. Talvez seja a ausência da Mídia que, como acontece aqui, recebe a censura disfarçada em “cala bocas” oficiais.

A preferência governamental ao não esconder sua intenção de tomar a vaga de vice governador de Dourados e beneficiar Três Lagoas e também o descarado apoio político anunciado para a candidatura de seu secretario de obras, outro nome do Bolsão, para a Câmara Federal e o incentivo oferecido para o presidente da Famasul, também nortista, demonstra claramente o abandono político do Sul.

Tudo isso, somado com as aplicações administrativas e políticas voltadas somente para Campo Grande me trazem à memória o Filme da Divizão do Mato Grosso, quando Paulo Machado liderando os sulistas divizionistas alertava a todos nós sobre o protecionismo aos cuiabanos. A reprise da peça está em cartaz para todos nós Sulistas começarmos a pensar em uma nova separação.

E nesse caso é oportuno lembrarmos da intenção do ex-governador Zeca do PT que incentivando um Plebiscito para a troca do nome do Estado automaticamente provocou uma reação separatista. Dessa idéia bizarra pode surgir de fato um Novo MS num futuro próximo, e que abraçando o Sul desde Rio Brilhante e Maracaju, pela Serra iria congregar um Povo homogeneamente semelhante em raça, costumes e atividades econômicas afins.

Repetindo as palavras do saudoso amigo Paulo Machado eu posso afirmar que esse é o verdadeiro Mato Grosso do Sul dos meus sonhos. Por enquanto, Rio Brilhante e Maracaju passando pela Grande Dourados e alcançando as Fronteiras de Ponta Porã à Mundo Novo e com a pujança de Naviraí mais ao Leste, o Sul trabalha e produz riquezas, locupletando a Capital do Estado e seus satélites.

Novas lideranças devem trazer esperanças e assim esperamos que nas eleições de 2010 o voto de todos os sulistas seja preferencialmente sufragado aos candidatos do Sul. Voltando ao tema do titulo deste artigo devo mencionar o ex-presidente do Sindicato Rural de Dourados e agora vereador Gino Ferreira, um nome que deve ser trabalhado para a Câmara Federal. A classe que já dispõe do eficiente Deputado Estadual Zé Teixeira ficaria bem representada nos dois parlamentos.

E quanto à eleição do novo Presidente do Sindicato Rural de Ponta Porã Dr. Jean Paes Martins, medico veterinário ativamente exercendo sua profissão e prestando assistência a diversos criadores tem todas as credenciais para brilhar nesta missão. E sobre o Jean Político, embora sem a sua manifestação publica posso imaginar que o neto do combativo Benone Martins das hostes oposicionistas da minha contemporaneidade e também neto do meu companheiro de Diretoria desse mesmo Sindicato o José Paes, um político conservador do velho Apa, devemos acreditar no potencial desse sangue novo.

Cláudio Martins, meu companheiro de veteranas peladas e líder esportista e ex-presidente renovador da Associação Comercial de Ponta Porã e do União Tênis Clube, literalmente deu sua vida pela causa social da coletividade fronteiriça e como pai nos legou o filho Jean, esta liderança jovem que rapidamente vai surpreender.

Nenhum comentário: