20.4.11

NOVENTA E SETE JANEIROS

Jango Cardinal, meu velho companheiro de lutas sindicais e associativistas, neste dia 30 de janeiro está completando 97 anos, dos quais cinqüenta foram vividos em Ponta Porã e na Fazenda São Bento, lá na margem esquerda do Rio Amambai. O bom gaúcho de Bossoróca, segundo distrito de São Luiz Gonzaga (RS), também terra natal de meus avós, chegou por aqui em 1947, completando portanto neste ano suas Bodas de Ouro como mato-grossense e fronteiriço.

Caminhamos juntos em diversas trilhas pioneiras do desenvolvimento desta região. Fomos companheiros na Cooperativa dos Produtores de Mate Amambai Ltda., sob a presidência do Eraldo Saldanha Moreira e do Juvenal Fróes. Participamos da fundação da Associação Rural de Ponta Porã com a presidência do engenheiro agrônomo Diogo Vaz Guimarães, meu orientador para introdução nas Ciências Agrárias de Viçosa (MG) e depois, por aqui, meu mentor na prática da profissão.

Também fazendo parte da diretoria já com o Armando Derzi, transformamos a Associação Rural em Cooperativa Mista Agropecuária, passando a fornecer insumos e principalmente sementes de pastagens para os produtores rurais. Juntamente com o Armando fomos introdutores das brachiárias aqui nesta região, e eu tive a felicidade de trazer as primeiras embalagens com mudas, desde Cuiabá, em uma Rural Wyllis cedida pelo prefeito Coraldino Sanches.

Foram sete variedades fornecidas pela Secretaria de Agricultura de São Paulo e doadas para a Secretaria do MT. Entre elas a “rosisienses” – “decumbens” e a tóxica “taner grass”. Com a primeira multiplicação por sementes realizada em São Manoel e Campinas pelo CATI do Governo de São Paulo, as brachiárias foram sendo disseminadas no Centro Oeste transformando os campos de barba de bode em pastagens produtivas.

As ‘brachiárias’ foram um marco que delimitou a velha e a nova pecuária brasileira. Após a implantação dos Governos Militares iniciados em 1964 atualizamos nossa Associação que aos poucos foi se tornando em Sindicato Rural, conforme ditavam as Leis.

Com a participação ativa do meu padrasto Jorge dos Santos Pereira, meu padrinho José Pinto Costa, e dos amigos comuns Osvaldo de Almeida Mattos, o Guaiaca, Arino Moreira, Astúrio Monteiro de Lima, Eraldo Saldanha Moreira, Cândido Garcia de Sousa, Jamil e Rachid Derzi, Sadi Pinto Magalhães e seu sogro Nenê Guimarães, José Fernandes Paes, João Portela Freire, Ivolim Alves Monteiro, meu sogro Waldomiro A. Monteiro, Dario Martins e seu filho Sizenando, Nery Alves Azambuja, José Carpes, Athamaril Saldanha, Lino do Amaral Cardinal, irmão do Jango e juntos com o Francisco Byron Loureiro Medeiros o mais jovem da turma, completamos uma relação de setenta e dois ruralistas, o número mínimo necessário exigido na época pelo Ministério do Trabalho, para instalarmos a Entidade Sindical.

O Sindicato Rural de Ponta Porã foi o primeiro a receber a CARTA SINDICAL neste Sul maravilha. Com o Jango idealizamos o sonho de construir um Parque de Exposições Agropecuárias e assim realizar uma Exposição que dignificasse a importância do setor rural regional. O amigo Jango sempre pertenceu a corrente Política de Direita, liderada naqueles tempos por Rachid Saldanha Derzi.

Ainda jovem e sem paixão partidária eu acompanhava José Pinto Costa meu padrinho, atuante no PTB de Getúlio Vargas o que me incentivou a seguir Pedro Pedrossian (PSD/PTB) em 1966, quando disputou o Governo de Mato Grosso contra o ortodoxo Lúdio Coelho.

No Mato Grosso anterior a 1964 existiam duas vertentes políticas que se alternavam no Governo do MT indiviso, a linha tradicional e conservadora na época representada pela UDN – União Democrática Nacional, militância dos antigos Coronéis “Imperialistas”.

Meu avô Luiz Pinto de Magalhães, Lidyo Lima, Ponciano de Mattos, Valêncio de Brum, e nesse quadro conheci na minha juventude o prefeito e deputado federal Dr. Aral Moreira, Adjalmo Saldanha e o Dr. Rachid Saldanha Derzi. Os originários da Revolução Federalista que derrubou o Império e criou a República abrigavam-se no PSD – Partido Social Democrático e no PTB – Partido Trabalhista Brasileiro.

No PSD regional também liderado e comandado por Coronéis posso citar o deputado Althair Brandão, Ataliba Batista, Arino Moreira, Lino do Amaral Cardinal que tiveram tempos áureos com Eurico Gaspar Dutra quando comandante do ONZE e chegando à Presidência da República como marechal de Exército na Segunda Guerra Mundial. O último deputado federal do PSD creio que foi o médico Miguel Marcondes Armando.

Durante a transição política da chamada Revolução de 1964, Filinto Müller apresentou o jovem engenheiro de Miranda, Pedro Pedrossian como candidato a governador na coligação PSD/PTB e que foi eleito em 1966. O PTB que eu conheci por aqui era comandado pelos coronéis José Pinto Costa, Astúrio Monteiro de Lima, Sadi Pinto Magalhães e Lycio Proença Borralho que foi prefeito e deputado Federal.

Já na juventude conheci o ilustre fronteiriço/pontaporanense Weimar Gonçalves Torres, filho da paraguaia dona Dionizia Gonçalves e do advogado nordestino José dos Passos Rangel Torres. O Weimar foi eleito deputado federal na coligação PSD/PTB. Agapito Boeira também foi deputado estadual nessa coligação PTB/PSD.

Meu amigo Jango sempre pertenceu a corrente conservadora e eu mais jovem acompanhei a política de Pedrossian. Essas idéias divergentes não impediram o desejo de trabalharmos juntos por Ponta Porã e pela nossa Classe e assim em 1974 fundamos o Clube do Laço Lino do Amaral Cardinal como embrião da organização da Primeira Exposição Agropecuária, a EXPOINTER 1975, com o fundamental apoio do prefeito Ayres Marques e do Byron Medeiros, secretário do Sindicato Rural.

Vale ressaltar que a construção daquela primeira etapa do Parque e a realização da Expointer recebeu a atenção de toda a comunidade fronteiriça. Não paramos por aí, nossa Diretoria do Sindicato Rural em 1976/77 construiu um Hospital Regional do FUNRURAL em terreno conveniado pela Câmara Municipal com a participação do sindicalista e vereador Juvenal Fróes.

Não fossem as forças ocultas, como dizia Jânio Quadros o Hospital não teria sido sucateado e o quadro da Saúde hoje seria outro. Jango também participou ativamente da diretoria que construiu o maior Armazém/Silo ainda existente em Ponta Porã para a Cooperativa presidida por nosso companheiro Dr.Astúrio Marques e hoje pertencente à COAGRI.

Hoje a mais moderna Cooperativa de Crédito, o SICRED, muito bem administrada pelo engenheiro agrônomo Vandir Agostino Caramori, companheiro de muitas lutas rurais, tem um associado entusiasta e participativo, o Jango Cardinal, o homem de noventa e sete janeiros.

* Produtor Rural de apenas 75 Safras

Nenhum comentário: